quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Por Aline Furtado - Blog Literalizando Sonhos

Yidish tem nove anos e mora com seus pais e irmãos em Kanobat, Bulgária. Em 1931, após o falecimento de um tio, seu pai recebe uma herança e consequentemente se muda para Berlim com a família, para assumir os negócios. 

Em sua nova cidade, Yidish descobre uma nova paixão, o balé, e se tornar bailarina se torna o seu sonho secreto. Lá ela também conhece Anton, que acaba se tornando seu melhor amigo, e Erdmann, primo de Anton. Juntos eles se divertem e dividem bons momentos. 
Tudo parecia bem, até que a perseguição aos judeus começa, se tornando um verdadeiro pesadelo.

"(...) Agora, com os olhos ofuscados pelas lágrimas que banhavam meu rosto por sonhos desfeitos, jurei para mim mesma não mais chorar por nada perdido. Sentia-me como um pássaro de asas cortadas, que fica se atirando contra as barras da gaiola." (p. 47)

"Roubaram-nos a liberdade de expressão, tornando-nos fantoches na mão do Estado. Não podíamos falar nem escrever aquilo que pensávamos. Não podíamos ter uma opinião, ou, pelo menos, ela não poderia se tornar pública, existindo apenas na nossa mente." (p. 58)

"A alegria em nossos corações foi reduzida, fazendo-me questionar se poderíamos ser felizes novamente. O que mais roubariam de nós?" (p. 60)

Yidish é inteligente e dona de uma força interior que me surpreendeu. Fica até difícil falar sobre essa protagonista que tanto me encantou e comoveu. A personagem me conquistou desde o início da história e com o desenrolar dos fatos foi ganhando cada vez mais a minha admiração. Passando pelas maiores provações de sua vida, quando eu pensava que ela não suportaria, ela me surpreendia uma vez mais.

Dentre os personagens secundários, Anton, Erdmann ♥ e Franklyn foram os que mais me agradaram. Cada um me cativou à sua maneira. Aliás todos os personagens foram muito bem caracterizados e inseridos na história, alguns com suas atitudes inescrupulosas e cruéis e outros com atitudes louváveis e caráter exemplar. Personagens realmente inspiradores, assim como Yidish.

"(...) Quais palavras escolher que pudessem abrandar o terror sob a cortina de ferro daqueles olhares? O que estriam pensando enquanto se aproximava o último sopro das suas existências?" (p. 109)

"(...) Era como se vivêssemos em um mundo paralelo, em uma realidade alternativa, onde a vida humana valia menos do que um objeto qualquer." (p. 124)

Narrado em primeira pessoa, a história começa com uma narrativa no momento presente, mostrando como está a vida da protagonista atualmente. No decorrer dos capítulos voltamos ao passado e embarcamos na história de Yidish, a partir do momento em que ela se mudou para Berlim até o momento em que ela se tornou quem ela é hoje, Sarah Wainness. Com uma narrativa totalmente envolvente e intrigante, Mallerey Cálgara construiu uma trama tensa e intensa. 

Guerra, crueldade, amizade, amor, Beco da ilusão é um daqueles livros que despertam no leitor os mais profundos sentimentos. Histórias que se passam na Segunda Guerra, tendem a mexer demais comigo, e dessa vez não foi diferente. A cada fato narrado eu ficava cada vez mais angustiada e triste. Apesar de ser uma obra de ficção, é baseada em fatos históricos reais, e a maneira como a autora retratou o holocausto, os campos de concentração e todas as maldades de Hitler e seus soldados, com detalhes na medida certa, faz com que o leitor se sinta vivenciando tudo aquilo, o que torna praticamente impossível não se comover. É doloroso, é chocante, é revoltante.

LEIA A RESENHA COMPLETA





Nenhum comentário:

Postar um comentário