terça-feira, 9 de maio de 2017

Blog Virando a Página - Por Mary Reis


Gente, não estou sabendo nem começar a resenha deste livro. Não, não é porque ele é ruim, é porque ele é MUITO BOM. A História de Yidish é intensa e incrivelmente emocionante. É uma leitura simplesmente estupenda! Bem, a sinopse já faz um resumo bem completo do livro e qualquer informação a mais que eu colocar aqui será um spoiler (rsrs), mas vou tentar contar um pouquinho da história para vocês.

O livro começa com Sarah Wainness indo para uma apresentação de balé, e mal sabia ela que a apresentação seria sobre a sua vida. Com o início do ato as lembranças de sua infância e de todo o sofrimento vem à tona. Logo nos primeiros capítulos, a gente já começa a se encantar e se envolver completamente com a história.

Yidish vivia com sua família em Karnobat, na Bulgária, porém seu pai recebeu uma herança de um falecido tio, e para que pudesse dar continuidade aos negócios que herdou, toda a família teve que se mudar para Berlim. O que ninguém esperava era o quanto essa mudança afetaria a vida deles, o tamanho do sofrimento que traria para todos.

Em Berlim, Yidish já estava ficando encantada pela cidade e começou a gostar mais ainda depois de descobrir que perto da gráfica de seu pai tinha um teatro e sempre tinha apresentações de balé, de imediato ela se apaixonou pela dança e criou o sonho de ser bailarina, mas nem tudo acontece da forma que esperamos, não é?

Os sonhos dessa garotinha foram esmagados quando os nazistas invadiram sua casa e a separou de sua família. Por sorte, e sem saber, Yidish parecia alemã e graças, ou não, a um segredo revelado, ela pôde sobreviver em meio à guerra. E então, começamos a conhecer a luta diária dela e passamos a sentir todas as suas angustias, tristezas e sofrimento.

A maioria das histórias que li e que envolve a segunda guerra mundial era a visão do lado oposto de Hitler, soldados e cidades que lutavam contra o nazismo e neste livro temos o contrário, soldados que lutam a favor do Fürher, mesmo sem concordar com suas ideias, e eu acho que isso que me deixou mais impressionada com a trama. Ler sobre o quão esse cara era cruel, foi demais para mim, eu só conseguia pensar em como uma pessoa pode ser tão egoísta e tão mesquinha. Não consigo imaginar uma pessoa que seja ardilosa dessa forma.

Enfim, no início de capítulo a autora cita uma frase de Hitler e uma foto da tragédia que foi a guerra, e isso deixou o enredo mais real e eu acabei me apegando e criando uma empatia com a personagem e no fim, não foi uma simples leitura, vivi e sofri com Yidish, Dalina, Bertha, Nuria e Sarah! E o final... que final! Eu tinha a esperança de fosse mais feliz, mas foi o fim necessário. Contudo, digo para vocês que a primeira coisa que me chamou atenção foi a capa. Sim, fiquei intrigada com a capa e logo depois com o título, bateu aquela curiosidade e eu só queria saber que beco era esse e o que tinha acontecido.

Bom, já falei demais desse livro né, vou deixar vocês com a vontade gigante de ler e descobrir a história de Sarah. Eu super indico essa leitura sensacional, que me deixou vidrada a cada virada de página, e espero que vocês gostem tanto quanto eu gostei.







Nenhum comentário:

Postar um comentário